Sinestesia, Superdotação, Supersensibilidade

Sinestesia: um fenômeno neurológico

Quando letras e números tem cores específicas, uma música tem suas próprias sequências de cores e formas, ao ver algo sente-se o gosto do que se está apenas olhando…

A Sinestesia é um fenômeno neurológico, o qual através de um estímulo são acionados dois ou mais sentidos simultaneamente.

Aqui trata-se de uma particular estrutura cerebral onde há uma superconexão neural de determinados areais cerebrais. O atual conhecimento científico tende a ver como uma capacidade inata, de ordem genética, a qual não se pode treinar e não se pode aprender. Ou seja, a pessoa já nasce assim e não se pode treinar ou aprender a ser sinestésico.

Outra corrente levanta a hipótese da Sinestesia ser um fenômeno de estrutura cerebral não inato, mas uma estrutura que se forma ao longo do desenvolvimento do cérebro após o nascimento. Mesmo nessa hipótese, o fenômeno continua sendo visto como uma disposição genética, involuntária e espontânea e como qual não se pode comandar (treinar o aprender).

Sinestesia é uma habilidade

Sinestesia é uma habilidade. Não é doença, nem transtorno ou síndrome e portanto não há sentido em ser tratado ou mudado, já que é um dom, uma aptidão a mais da pessoa.

Da própria palavra sinestesia vinda do grego -syn- que significa união e da palavra –esthesia– que significa sensorial, esta capacidade une sentidos que na maioria das pessoas são ativados separadamente.

Pessoas sinestetas veem e sentem o paladar do que estão apenas vendo ou veem cores em dores físicas ou notas musicais. Suas letras e números podem ter cores específicas, assim como sons podem ter cores e gostos…Segundo pesquisas do instituto de neuropsicologia da universidade de Zurique, há mais de 60 tipos de combinações diferentes de sinestesia.

Sinestesia é um fenômeno físico e real, que se pode provar através de exames de tomografia de ressonância magnética. No exame, a pessoa sinestésica recebe um estímulo do seu ambiente e diz quando está sendo ativado sua capacidade sinesteta – por exemplo: ela diz quando está vendo e sentindo o gosto do que está vendo, enquanto os cientistas podem ver nos monitores do exame se realmente os respectivos areais cerebrais estão sendo ativados ou não.

Além disso pode-se observar na estrutura cerebral do sinesteta, que os areais cerebrais respectivos às suas habilidades tem um maior volume do que os mesmos areais cerebrais de pessoas não sinestésicas. Também se pode ver nas áreas próximas aos respectivos areais uma maior conexão neural.

Sinestesia nada tem a ver com imaginação ou alucinações e impressões advindas de doenças ou transtornos psíquicos e nem tem a ver com as sensações ou alucinações causadas pela ingestão de drogas. O sinesteta vive sua aptidão consciente, de forma duradoura e em pleno domínio de toda sua capacidade mental e sensorial.

Estudos de Neurociência da Universidade de Zurique apontam que o sinesteta tem claramente um número muito maior de conexões neuronais do que pessoas não sinestetas, o que causa diferenças significativas em toda a sua forma de perceber e processar o seu meio.

Foto da Univ. de Zurique – Marita Fuchs

Como se testa a sinestesia?

A sinestesia pode ser testada e confirmada através de exames neurológicos com um neurologista especializado neste tema. (Infelizmente poucos neurologistas até o momento tem esta especialização/conhecimento). No entanto, o possível sinesteta pode começar com uma auto-observação ou também buscar ajuda de pessoas que conhecem o tema parta a ajuda da confirmação.

Importante: Sinestesia não requer diagnóstico, pois não se trata de doença. Sinestesia é apenas uma capacidade cerebral específica – uma característica.

Um exemplo: O fenômeno pode também ser primeiramente testado de forma simples como a leitura da sequência de números coloridos ou palavras que são escritas de uma cor, mas significam outra cor.

Nesse tipo de testes, o possível sinesteta deve ler e dizer a cor dos números ou das palavras – a pessoa que for sinesteta terá dificuldade em dizer o nome da cor porque determinado número ou palavra está para ele intimamente associada a uma outra cor.

Compreendido que este seria apenas o teste para uma entre as 81 formas conhecidas de sinestesia.

A sinestesia acontece de forma individual

A sinestesia acontece de forma única e individual. Ou seja, cada indivíduo sinesteta tem sua própria combinação, grau e forma de sentir.

Por exemplo, para uma pessoa a letra “A” é vermelha e para outro sinestésico a letra “A” é azul. Uma pessoa pode sentir apenas a combinação gráfica com cores, outra ainda pode ir além podendo sua letra “A” ter outra cor acrescentado de som ou até gosto.

Sinestesia é um fenômeno involuntário e espontâneo: ou seja, a pessoa não controla. Simplesmente a pessoa sente.

Segundo estudos realizados pela Profa. Dra. Julia Simner da Universidade de Edinburg e do Prof. Dr. Markus Zedler da Universidade de Hannover – Alemanha, aproximadamente 5% da população mundial é sinestésica.

Pesquisas também constatam este fenômeno muito frequentemente ligado a pessoas Superdotadas e ou Supersensíveis. O que não significa que todo superdotado ou supersensível seja sinesteta ou que todo sinesteta tenha automaticamente o conjunto de características para ser denominado superdotado ou supersensível.

O fenômeno também não tem relação automática com o autismo ou síndrome de “savan” como se pensava antigamente.

Pesquisas também podem constatar que sinestésicos tem comumente um poder de criatividade acima da média.

A sinestesia dividida em 5 grandes grupos:

A pesquisadora alemã Jasmina Sinha divide o fenômeno sinesteta em 5 grandes grupos, podendo eles aparecer também em diversas variações interligadas entre si:

  • Sequências de cores
  • Musica colorida
  • Percepções afetivas coloridas
  • Sequências espaciais
  • Interligações de sentidos não-visuais

Famosos sinestetas

Vários famosos como o pintor impressionista Wassily Kandinsky, o grande compositor e pianista úngaro Franz Lizst, assim como escritor romântico alemão Wolfgang von Gothe, o inventor Nikolas Tesla, o famoso guitarrista Jimmy Hendrix , a cantora e compositora Lady Gaga e o cartunista Michel Gagnè eram sinestetas.

Aqui deixo o link do trecho do desenho animado “Ratatouille” onde o autor retrata a sinestesia de forma lúdica : https://www.youtube.com/watch?v=rLXYILcRoPQ&t=11s

Facilidades com a Sinestesia:

  • Criatividade aguçada
  • Maior capacidade de memória
  • Maior poder de abstração
  • Múltiplos talentos
  • Maior capacidade na observação de detalhes
  • Maior poder de sensibilidade e empatia

Essas pessoas possuem uma capacidade de memória relativa à sua área sinestésica muito além da média, já que seu apoio de memorização é sempre no mínimo dobrado. Ex: ao memorizar uma frase, eles não menorizam apenas a sequência de palavras e o seu sentido, mas esta memorização também é garantida pela sequência de cores das palavras vinculadas a seu significado.

Sinestésicos são em média mais criativos e segundo o Prof. Dr. Markus Zedler (Universidade de Medicina de Hannover – Alemanha), elas apresentam uma maior estabilidade emocional. Ainda não se sabe exatamente a causa e nem como , mas segundo o professor, somente uma porcentagem mínima dessas pessoas apresentam problemas psicológicos ou psíquicos.

Possíveis dificuldades com a Sinestesia:

  • Possível dificuldade com a orientação espacial
  • Possível hiperatividade ou déficit de atenção
  • Necessidade de mais de descanso e pausas devido a um gasto maior de energia
  • Falta de esclarecimento da sociedade

Na escola crianças sinestetas podem precisar de mais tempo para ler ou para fazer exercícios de matemática e geometria, principalmente se a professora se usar de números ou palavras escritas grifadas com cores.

Algumas pessoas podem ter uma certa dificuldade com a orientação espacial ou sofrer de hiperatividade ou déficit de atenção. Também como os supersensíveis, algumas dessas pessoas podem precisar no seu dia a dia de um pouco mais de descanso e pausas devido a um gasto maior de energia. No entanto, a real desvantagem é a falta de esclarecimento da sociedade, da escola, da família e de amigos que o rodeiam.

A não descoberta ou a falta de consciência deste fenômeno pode trazer à criança situações de desconforto, desentendimento ou até humilhação que podem ir desde a perda da autoconfiança à consequências de falso diagnóstico pedagógico ou até médico. A Sinestesia infelizmente ainda é confundida erroneamente por profissionais da educação e até por profissionais da saúde como sintomas de distúrbios psiquiátricos: por exemplo a esquizofrenia.

Sinestesia é um dom! E a consciência dela pode ser libertador tanto para as pessoas afetadas, quanto para toda a sociedade!

Deixo aqui algumas combinações mais comuns da Sinestesia, segundo estudos do Instituto de Neuropsicologia da Universidade de Zurique:

Estatítica de Capacidade e Porcentagem a cada 1000 Sinestetas

  • 68,88%, Cor + escrita (números e letras possuem cores fixas)
  • 23, 43%, cor + tempo (dias da semana, meses e estações do ano possuem cores fixas)
  • 18.53%, cor + música (ao ouvir música, a pessoa vê uma sequência de cores, fixas , relativas àquela música)
  • 7.52%, cor + paladar (sente o gosto de relaciona com uma cor)
  • 6.99%, cor + odores (cada odor é relacionado com uma cor)
  • 4.55%, cor + pessoas (a pessoa relaciona uma cor a cada personalidade )
  • 1,57%, Som + paladar ( a pessoa ouve sons e sente o paladar do som)
  • (dados da Universidade de Zurique)

Simone Clemens Pedagoga de Talentos e Especialista em Coaching de Superdotação e Supersensibilidade pelo Conselho Europeu de Altas Habilidades da Universidade de Münster – Alemanha e IFLW, pedagoga Montessori Internacional, Bacharel de música pela UNESP e fundadora da EducarSi.

Nós usamos Cookies para garantir que você tenha uma ótima experiência no nosso site. Caso você continuar usando este site, nós partimos do princípio que você está de acordo com isso.  Saiba mais